Os alunos do 12ºAno, no âmbito da Disciplina de Geografia C, como forma de assinalar os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, em colaboração com a Amnistia Internacional e com a Biblioteca Escolar estão a implementar a atividade Maratona de Cartas, um dos maiores eventos de direitos humanos do mundo. Todos os anos, durante o último trimestre, a Amnistia Internacional implementa a Maratona de Cartas e mobiliza milhões de pessoas em todo o mundo para que assinem cartas em prol do fim das violações de direitos humanos. Com esta atividade procura-se sensibilizar a sociedade para um conjunto de casos selecionados. No ano 2018 é dedicada a mulheres defensoras de direitos humanos que atuam em difíceis condições e enfrentam níveis de ameaça e violência sem precedente. Os casos sobre os quais incide a Maratona de Cartas, são:

– Atena Daemi, jovem iraniana que está presa por distribuir panfletos e participar em protestos contra a pena de morte e a favor dos direitos das mulheres no Irão.

-Marielle Franco, brasileira, vereadora do Rio de Janeiro que foi assassinada por lutar pela igualdade de género, de cor, de identidade sexual e contra as execuções ilegais cometidas pela policia.

-Nonhle Mbuthuma, ativista ambiental sul africana que está a ser perseguida e ameaçada de morte por lutar contra uma empresa mineira que quer explorar titânio nos terrenos agrícolas da comunidade rural a que pertence.

Geraldine Chácon, jovem venezuelana, foi presa e atualmente está proibida de sair do país por ajudar a capacitar os jovens a defenderem os seus direitos na sua cidade, Caracas, sobretudo nas zonas mais pobres.

– Vitalina Koval, jovem ucraniana que  foi violentamente atacada por organizar uma manifestação pacífica no Dia Internacional da Mulher no presente ano, a favor da igualdade de género e da comunidade LGBTI.

Os alunos do 12º apelam à comunidade educativa, para participarem na atividade, assinando as cartas relativas aos casos destas 5 mulheres, cartas essas que se encontram na biblioteca escolar. Esta atividade está inserida no projeto Escolas Solidárias em que o agrupamento está inserido e pretende assinar o máximo de cartas possível até ao mês de janeiro. Participem, colaborem com a Amnistia Internacional na defesa dos Direitos Humanos.

Os alunos do 12ºAno