A data de comemoração do Dia Internacional dos Direitos Humanos foi escolhida para honrar o dia em que a Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou, a 10 de dezembro de 1948, em Paris, a Declaração Universal dos Direitos do Homem. A Declaração foi assinada por 58 estados e teve por objetivo promover a paz e a preservação da humanidade, após os conflitos da 2ª Guerra Mundial que vitimaram milhões de pessoas.Esta data, celebrada anualmente, visa também homenagear o empenho e dedicação de todos os cidadãos defensores dos Direitos Humanos e colocar um ponto final a todos os tipos de discriminação, promovendo a igualdade entre todos.
No âmbito desta comemoração, realizou-se ao longo do dia 10 de dezembro de 2019, na Escola Secundária de Figueiró dos Vinhos, uma sensibilização para a problemática alusiva aos Direitos Humanos, com a participação de alunos do Agrupamento, desde o 1º CEB até ao Ensino Secundário e envolvendo áreas/disciplinas como Cidadania e Desenvolvimento, Mundo Atual e Defesa de Direitos, Psicologia e Sociologia.
Assim, realizaram-se jogos educativos, com a participação de alunos do 1º e do 3º CEB; exposições (com o destaque para os 30 Direitos do Homem); passagem de um vídeo e afixação de textos/ mensagens fortes e apelativas.
Também as alunas do TAFAC (Turma do Curso Profissional Técnico de Apoio à Família e à Comunidade) construíram, em 3D, as letras que dão título a esta efeméride e desenvolveram outras atividades, entre as quais “O MURAL DOS DIREITOS HUMANOS”, com o intuito da comunidade educativa refletir sobre esta problemática tão importante e nobre como a necessidade de sermos mais interventivos na promoção e defesa dos Direitos Humanos.
Tendo o Agrupamento sido inscrito no Projeto “Maratona de cartas: assinar para vencer!”, as turmas do 10º A e 12º B dinamizaram-no, em colaboração com as docentes Dulce Paiva e Ana Isidoro, apresentando o Projeto a todas as turmas do 3º CEB( exceptuando as do 7º ano) e Ensino Secundário, longo deste dia. Este evento de ativismo, promovido pela Amnistia Internacional, é um dos maiores de Direitos Humanos do mundo, em que milhões de pessoas se unem no esforço conjunto e simultâneo de escrever cartas e assinar petições em defesa de pessoas e de comunidades em risco. A Amnistia Internacional apela, então, à mobilização mundial em defesa de 5 casos de jovens cujas vidas se encontram em risco ou que escolheram fazer frente às adversidades. Neste projeto de mudar vidas, esta ONG, optou por promover a dinamização da maratona de cartas com base na assinatura digital (respondendo ao desafio da sustentabilidade ambiental), chegando assim a um maior número de pessoas e conseguindo mais assinaturas.
Com esta celebração, dinamizada por várias docentes, em articulação com a Biblioteca Escolar, pretendeu-se passar mensagem de que deveremos ser mais interventivos na promoção e defesa dos Direitos Humanos.
Por conseguinte, os objetivos desta atividade foram atingidos uma vez que se fez despertar, principalmente aos alunos, que somos “Todos Diferentes, Todos Iguais”,evidenciando uma Educação para os Direitos Humanos.

Professoras dinamizadoras:
Ana Isidoro, Ana Paula Guiomar, Dulce Paiva, Helena Jorge e Lurdes Saraiva